Campanha Amazônia no Centro: debates sobre um futuro mais sustentável

Campanha Amazônia no Centro: debates sobre um futuro mais sustentável

A Amazônia no Centro é uma campanha formada por um consórcio de projetos sobre a Amazônia, que tem o propósito de enfatizar a importância da Amazônia Legal para o desenvolvimento econômico do Brasil.

Tendo em vista o imenso potencial de iniciativas de desenvolvimento sustentável e o fato de que a exploração ilegal e irresponsável da Amazônia, além de gerar danos imensuráveis e irreversíveis ao ecossistema e aumentar a crise ambiental atual, cria riscos altíssimos à economia brasileira.

Por tudo isso, a Amazônia no Centro quer trazer a Amazônia para o debate sócio-político, não como tema secundário ou acessório, mas como tema central, de forma que seja possível o desenvolvimento da região em todos os âmbitos (educação, economia, tecnologia, emprego, oportunidades, segurança) e de maneira sustentável.

Sendo assim, é necessário refletir sobre o voto consciente e responsável. Na eleição de 2022, o voto legislativo, em candidatos comprometidos com uma agenda verde e que tenham propostas efetivas em defesa da Amazônia e de seu crescimento econômico sustentável, é indispensável para a guinada de desenvolvimento fundamental para potencializar os impactos positivos de uma agenda responsável pró-desenvolvimento do maior bioma do planeta.

Nesse sentido, ao pensar em economia e meio ambiente, é possível se perder no senso comum de enxergar as iniciativas de desenvolvimento sustentável como sendo pouco viáveis e, por vezes, afastadas da realidade fática. Contudo, observando o momento atual e toda a conjuntura relativa não só à situação ambiental, mas também à econômica, é perceptível a necessidade de adotar medidas e políticas que levem em conta os riscos ambientais e suas consequências.

Não é novidade que o Brasil já ocupou posição de destaque internacional em questões ambientais, sobretudo de conservação, especialmente com a recuperação de áreas perdidas da Floresta Amazônica, entre os anos de 2004 e 2012. Contudo, segundo dados presentes em pesquisa ligada à Amazônia 2030, hoje 20% da floresta encontra-se degradada de alguma maneira.

Assim, muito da reputação positiva do país foi perdida com o aumento alarmante do desmatamento em tempos mais recentes. Enquanto isso, é notável o crescimento do número de países e empresas empenhados na criação de políticas e metas que buscam diminuir – ou até extinguir – seus impactos ambientais negativos, seja com a redução da emissão de carbono, com a participação no mercado de créditos de carbono, seja o descarte responsável e reaproveitamento dos rejeitos industriais etc.

Isso mostra que o Brasil está indo na direção contrária àquela da tendência mundial de endurecimento das exigências relacionadas a uma economia de baixo carbono. Caso o país não mude suas práticas predatórias sobre o meio ambiente, sobretudo na Amazônia, que certamente atrai olhares de todo o mundo com a intensificação dos efeitos do aquecimento global, estará arriscando um possível isolamento no quadro internacional, que pode levar à diminuição de seu mercado estrangeiro.

As oportunidades de investimento responsáveis e de baixo impacto ambiental existem e são inúmeras, tanto no setor agroindustrial quanto na economia de reflorestamento, e podem colocar o Brasil de volta a uma posição de destaque.

O protagonismo internacional, por sua vez, é capaz de gerar impactos positivos não só ao meio ambiente, mas também a outras áreas, promovendo, de acordo com pesquisas desenvolvidas pela Amazônia 2030, a diminuição da violência no campo e contra populações tradicionais, relacionados com a exploração de ouro ilegal, madeira ilegal e grilagem; benefícios para a economia local e nacional, incluindo o aumento da competitividade comercial e a melhoria na reputação internacional do país e de suas empresas e produtos; a diminuição de crimes e de corrupção relacionados à exploração ilegal do ecossistema.

Portanto, trazer a Amazônia para o centro do debate é crucial para que milhares de oportunidades sejam vistas e aproveitadas, gerando riqueza sem destruição.

Gostou deste artigo? Compartilhe

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Share on Linkdin
Share on Pinterest
Email
WhatsApp

Postagens Recentes

Deixe um comentário