A importância da bioeconomia para a Amazônia

[Foto: Depositphotos]

Bioeconomia não possui uma definição única. Para alguns é a aplicação comercial de biotecnologia, para outros a substituição de matérias-primas fósseis por matéria-prima biológica. Bioeconomia é um modelo de produção importante, pois pode ajudar a enfrentar três grandes desafios atuais: as mudanças climáticas, a insegurança alimentar e a perda de biodiversidade.

Leia também:

“Do ponto de vista acadêmico é um conceito amplo, fluído e em formação. Em 2016, pesquisadores nórdicos fizeram uma ampla revisão de literatura e resolveram classificar a bioeconomia em três grandes visões: bioecológica, biotecnológica e de biorrecursos”, explica Cristina Leme Lopes, gerente de pesquisa, direito e governança do clima no CPI Brasil (Climate Policy Initiative).

A pesquisadora destaca, ainda, que, no Brasil, a bioeconomia ganha uma atenção especial quando se trata de propostas para o desenvolvimento sustentável da Amazônia. A região possui uma grande diversidade biológica e sociocultural e, por isso, tem um potencial muito grande nas visões bioecológicas e biotecnológicas. Mas, a Amazônia também tem muitas áreas degradadas e desmatadas onde a produção de biomassa nessas áreas, por sistemas de agrofloresta, seria uma ótima opção para associar produção com restauro florestal.

Assista, clicando aqui, à entrevista da pesquisadora para o Nexo Jornal.

Gostou deste artigo? Compartilhe

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Share on Linkdin
Share on Pinterest
Email
WhatsApp

Postagens Recentes

Deixe um comentário